o dia q vi um portal se abrir...

quem melhor do q eu para escrever sobre noites gigantes e inesqueciveis...

sem dúvida essa foi a maior delas ! e mais marcante !
e mais horrível.
no dia 08 d novembro... há dez anos...
e eu não esqueço um segundo da noite toda.
puta banda. puta som. puta show... muita gente.
mamãe é claustrofóbica e graças a Deus me passou a 'doença', me obrigando a sair no meio da última música do bis... e salvando minha vida.
olhei no relógio... quase 3:00 da manhã. horário em q se abre um portal na Terra com o inferno. mas nem pensei nisso. puta show... amigos. bebida.
mas alguém tinha q lembrar...
e parece q ele atravessou o portal e apareceu... na minha frente...
em forma d caos...
TUMULTO. gritaria...
é brincadeira não é ???
-ae muleke. empurra não... a loirinha não tem asas...
a loirinha ri enquanto meu amigo brinca com ela do lado d fora da escadaria...
mas o tempo passa e o sorriso vira nervoso. e a brincadeira vira séria.
-AE PARA D EMPURRAR MEU... A GALERA TÁ SENDO AMASSADA AQUI.

e o sorriso já era desespero... e meu amigo tenta puxar o braço estendido implorando uma ajuda. mas só o braço estava fora d perigo... ela estava sendo tragada pro meio d um mar d gente... q gritava... ria... chorava... sem entender ao certo o q estava acontecendo...
e o q acontecia era só o pior. o portal foi efetivamente aberto... e nenhum anjo conseguiria voar dali por diante.
kd a linda loirinha ? desapareceu ! mas eu sabia q ela estava ali... e q a tendencia era piorar a situação cada vez mais.
olho no relógio. parecia q abri uma contagem pra saber quanto tempo ela tinha.
e essas pessoas olhando d braço cruzado. como se tivessem comprado ingresso pra um freak show...
-e ae caralho ! ninguém vai fazer nada??? vai morrer gente aqui meu.
alguma coisa eu tinha q fazer !
e eu olhei no relógio... 10 minutos. ela vai sufocar.
-TEM UMA MENINA AQUI EMBAIXO MEU. TIRA ELA DAÍ...
mas as coisas só pioram... as pessoas continuam empurrando e mais gente cai sobre a loirinha.
um metro d pessoas. uma por sobre a outra.
não adintava nada eu olhar o lugar aonde ela estava. pra tirá-la d lá ainda tinham q tirar muuuita gente.
faça alguma coisa ! seja útil pra alguém.
pega gelo. água. afasta as pessoas q estão saindo do inferno pálidas e sem entender aonde [e por quê] exatamente o portal se abriu.
o corrimão da escada começa a ceder... e em pouco tempo quebra. derrubando um grande número d pessoas.
isso é bom ou ruim ? aliás... tem como isso piorar ???
dois estalos no concreto da escada me mostram q sim. isso pode piorar e muito ainda...
relógio. 20 minutos. e ainda muita gente por sobre a loirinha.
como eu rezei ! como eu implorei pra q ela tivesse força. e o meu pensamente era um só: eu já teria morrido...
eu já não tinha mais ação... só olhava pro relógio e pra escada...
e repetia -tem uma menina ali embaixo... tira ela d lá...
mas eu olhei pro alto da escada e vi outra linda menina... d cabeça pra baixo. presa pelas pernas e com o resto do corpo caido pra fora da escada. praticamente desacordada...
com meus amigos gritando -não fecha o olho não... fala comigo.
um subindo no ombro do outro pra tentar puxa-la. mas as pernas estão presas no mar d gente...
-levanta a cabeça dela senão ela vai apagar... dá água pra ela.
eu tinha q fazer alguma coisa. mas me sentia uma completa inútil...
não havia muito o q fazer. só rezar e olhar no relógio...
meia hora !!! e ninguém tirou a loirinha d lá...
os bombeiros !!!
-TEM UMA MENINA AQUI EMBAIXO ! FOI A PRIMEIRA A CAIR.
mas me empurraram pra q eu me afastasse do lugar...
e foram tirando as pessoas como sacos d batatas.
uma a uma... carregadas. gritando. chorando. perguntando por irmãos ou amigos... todos...
menos a loirinha.
a loirinha saiu dormindo...
e não acordou mais...
não aqui.
e mesmo sem conhecer a tal loirinha...
ela marcou a minha vida d uma maneira muito forte...
foi a primeira vez q atravessei esse portal.
e espero q tenha sido a última...


Won't you help to sing... these songs of freedom
'Cause all I ever have: Redemption songs...
Redemption songs...
Emancipate yourselves from mental slavery.
None but ourselves can free our minds.
Have no fear for atomic energy.
'Cause none of them can stop the time...
How long shall they kill our prophets.
While we stand aside and look.
Oh! Some say it's just a part of it: We've got to fulfill the book.
Won't you help to sing... these songs of freedom
'Cause all I ever have: Redemption songs...
Redemption songs... Redemption songs....

3 comentários:

Clementine disse...

"quem me dera ao menos uma vez, com a mais bela tribo, dos mais belos indios, não ser atacado por ser inocente"

triste isso. mas o relato é bonito.

certos momentos marcam antes mesmo da gente saber que vai marcar. agente fica atônita prestando atenção, sem saber o porquê de nem piscar os olhos atentando pra tudo! e nem sabe...que já foi marcada.

Aline Tolotti. disse...

*arrepios*

Essa história marcou até minha vidinha, e eu que nem sonhei em estar no show. Não era a minha hora. Não era a sua. Mas era a dela...

Que Deus a tenha.
E com certeza, ela está em um plano bem melhor que o nosso.

Fuckin' princess disse...

[sensação completamente estranha]
As incríveis coincidências dessa semana, principalmente essa de hoje, estão tirando a normal fluidez com que escrevo... As palavras morrem secas...
Essa loirinha que "surgiu" na sua mente hoje era minha melhor amiga... E, nesse momento, sinto um certo conforto [apesar de toda a tragicidade imensurável] em saber que no meio de todo aquele caos você não desistiu... Ela não estava completamente desamparada como pensava...
O que tenho além da gratidão, soube em meu abraço sincero dado no dia...
Cada vez mais e mais você se torna especial... Essa história sela a certeza do que já sabíamos...
Obrigada [mais uma vez] minha louka amiga monstra...