MEU sonho d uma noite d verão

quem melhor do q Shakespeare pra escrever sobre sonhos. amores. loucuras.
certamente influenciou muito na minha alma libriana representar helena ainda novinha...
lembro como se fosse hj.
'houve um tempo em q o mundo... além d habitado por mortais era também habitado por fadas... e doendes... dotados d poderes sobrenaturais' [e pluck soltava porpurinas das mãos e abria-se o pano... enquanto ele apresentava toooda a trama da floresta. do reino...]
aaah. o SONHO... o AMOR... o VERÃO...
os dias são longos e as noites são cheias...
é quando a gente desestabiliza. o mundo ganha mais cores e a vida fica com aquele gosto q deveria ter o ano todo... d ser efêmera...
lembrar shakespeare me faz pensar q amores realmente se baseiam em sonhos. em noites. em loucuras.
gosto dos meus sonhos efemeros. q perdem o gosto quando deixam d ser sonhos...
não q eu não goste d viver sonhos. mas alguns são tão surreais... q nem eu entendo.
alguns eu nem sonho. ou sonho não sonhando. fingindo q eu sei q não passa d uma boa mentira. [e todo mundo adora uma boa mentira]
mas eu sonho... e durmo... e acordo [quase] dentro do sonho... posso até sentir o cheiro dele...
um sonho doce. com um toque trash... só pra ser humano d verdade.
sonho daqueles q ninguem acredita. sonho d UMA NOITE q seja. sonho q pode ser como tantos outros q perdem o gosto [ou as vezes nem gosto tem]
... mas o cheiro... assim. d manhã... uma mistura d sono com química e d perfume regado a vodka...
e vejo q quanto mais despretencioso é o caminho mais longe eu vou.
e eu já nem sei pra onde eu tô indo mesmo...
ouvi d um amigo outro dia a velha frase q o fim justifica os meios. então...
q venha o fim ! pq eu me perdi aqui no meio !
p.s. - alguém já reparou q é novembro ?!? daqui a pouco começa aquelas luzes...

Um comentário:

Clementine disse...

Oi vivi.
estou sonhando.
e vc escreveu tudo.
ás vezes é tão dificil distinguir a realidade do imaginário. que fico assim mesmo.
perdida no meio
como vc.


beijo grandE, grande Vivi